Notícias
Compartilhar

Seminário debate jovens e trabalho no Sesc Bom Retiro

Diante do atual cenário socioeconômico do país, projetos que se propõem a ampliar o olhar crítico e potencializar a criatividade dos jovens podem contribuir para novas perspectivas de presente e futuro. Para discutir esses temas, o Sesc São Paulo promove, a partir de amanhã (13/09), o seminário Jovens e Trabalho: Dilemas, Invenções e Caminhos. A programação, que contou com a colaboração da Ação Educativa, reunirá pesquisadores/as do campo da juventude e experiências de participação, ativismo e trabalho.

Serão dois dias de programação no Sesc Bom Retiro. As inscrições podem ser feitas presencialmente nas centrais de atendimento das unidades do Sesc em São Paulo ou no dia do evento. Valores: R$ 40,00 (inteira); R$ 20,00 (usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes, aposentados e professores da rede pública); e R$ 12,00 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculados e dependentes).

Confira a programação completa, que também será transmitida ao vivo pelo link sescsp.org.br/jovensetrabalho:

Dia 13 de setembro de 2017
09h30 | Credenciamento
11h às 11h45 | Abertura institucional: Danilo Santos de Miranda, Diretor Regional do Sesc SP e Carlos Artexes Simões, Diretor do Departamento Nacional do Sesc;
11h45 às 13h45 | Conferência de Abertura: Jovens, trajetórias de formação e trabalho. Com Maria Carla Corrochano e Regina Novaes. Mediação: Maria Virgínia de Freitas;

Maria Carla Corrochano 
É doutora em Educação pela USP (2008). Foi assessora do Programa Juventude da Ação Educativa; Consultora da OIT para a elaboração da Agenda Nacional do Trabalho Decente para a Juventude. Atualmente é chefe do Departamento de Ciências Humanas e Educação/ CCHB/ UFSCar.

Regina Novaes
Atua como pesquisadora do CNPq e desenvolve o Projeto “Juventude, Identidades e Expressões Culturais”.

Maria Virgínia de Freitas 
Socióloga e Mestre em Educação pela Universidade São Paulo. Coordenadora da Área de Juventude da Ação Educativa – Assessoria, Pesquisa e Informação, em São Paulo. Vice-Presidente do Conselho Nacional de Juventude – Conjuve (2008/2009). Autora de diversas publicações sobre Juventude e Políticas Públicas de Juventude.

13h45 às 15h00 | Intervalo para Almoço
15h00 às 16h30 | Painel de Relatos: Participação, ativismo e trabalho. Com  Jovens Urbanos, Levante Popular da Juventude , Uneafro e Programa Juventudes – Sesc Bom Retiro.  Mediação: Gabriel Di Pierro.

Jovens Urbanos 
O Programa desenvolve, implementa e dissemina tecnologias de trabalho com juventude por meio de processos de formação de profissionais que atuam com o público jovem, amparados na tríade conceitual: ampliação de repertório, inserção produtiva e participação na vida pública, além de contribuir para que esses jovens concluam o Ensino Médio e tenham acesso ao Ensino Superior.

Levante Popular da Juventude 
Organização de jovens militantes voltada para a luta de massas em busca da transformação da sociedade.

Uneafro 
A União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os e Classe Trabalhadora agrega militantes da causa negra, da luta antirracista, da causa das mulheres, da diversidade sexual e do combate a todos os tipos de discriminação e preconceito; da causa da Educação Popular e Libertária; da disseminação do protagonismo comunitário e da luta contra a exploração econômica e a dominação política.

Programa Juventudes – Sesc Bom Retiro 
O Programa desenvolve projetos que procuram levar em consideração a pluralidade e diversidade do público juvenil. Assim, convida o jovem a participar de ações processuais que fortaleçam a convivência, o diálogo e a troca de experiências, por meio de diferentes linguagens artísticas, acesso às informações e fortalecimento de relações afinadas com seus interesses.

Gabriel Di Pierro 
Psicólogo, atua com as agendas de juventude, controle social, mobilização e políticas públicas. Como diretor da Associação de Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) tem experiência no tema da mobilidade e direito à cidade.

17h00 às 19h00 | Cine-debate – “Nunca me Sonharam”, de Cacau Rhoden. Mediação: Valter Vicente Sales


Dia 14 de setembro de 2017

10h às 11h30 | Conferência de Abertura: Políticas públicas de Juventude e novos desafios no mundo de trabalho. Com Helena Abramo e Lúcia de Oliveira. Mediação: Wagner dos Santos

Helena Abramo 
Atualmente é Socióloga da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e participa de grupo de estudos do IPEA para o desenvolvimento de pesquisa sobre a situação ocupacional de jovens. É pesquisadora dos temas de cultura, trabalho e políticas públicas para jovens; participou da estruturação da política nacional de juventude, tendo participado da coordenação do Projeto Juventude entre 2003 e 2004 e integrado a Secretaria Nacional de Juventude entre 2011 e 2016.

Lúcia de Oliveira
Autora de diversos estudos, publicações e livros, sobre o mercado de trabalho. Também atua como docente em cursos da Escola de Ciências do Trabalho do DIEESE.

Wagner dos Santos 
Coordenador do Núcleo de Estudos sobre juventude no CENPEC – Centro de Estudos e Pesquisa em Educação Cultura e Ação Comunitária. As áreas de Estudos estão concentradas em Juventude, Política públicas,  Educação Integral, Mobilidade Urbana, Organizações Sociais e Economia Criativa.

11h30 às 13h00 | Painel de Relatos: A inserção juvenil no campo da cultura. Com Cooperativa de Artistas, Jovem Monitor Cultural, Liga do Funk e Ocupa Colaborativa. Mediação: Lucy Franco

Cooperativa de Artistas  
A governança do Instituto Pombas Urbanas é constituída pelos integrantes do Grupo Pombas Urbanas, que, ao longo desses anos, se especializaram na área de gestão organizacional e, atualmente, compartilham a gestão desse espaço com jovens de outros coletivos artísticos formados desde 2004 no Instituto. Esse é o maior resultado da ação do Instituto Pombas Urbanas no bairro: são mais três coletivos artísticos, envolvidos com a gestão e os projetos desenvolvidos. Desse processo, nasce, em 2015, a Cooperativa de Artistas como modelo organizacional e de relação entre esses três coletivos.

Jovem Monitor Cultural  
Jovem Monitor/a Cultural é um programa de formação e experimentação profissional em gestão cultural para as juventudes realizado pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC) da Prefeitura de São Paulo, sob coordenação do Centro Cultural da Juventude (CCJ), que, atualmente, conta com a parceria das organizações conveniadas, Ação Educativa e Instituto Pólis.

Liga do Funk 
Trazendo conscientização política e oportunidades para os futuros MCs, djs, produtores culturais e musicais e beatmakers. Liga do Funk procura atuar nas mais diversas instituições e espaços para que o debate sobre a cultura periférica e do funk se reposicione e que se crie um elo que promova mudanças e ganhos para a juventude brasileira.

Ocupa Colaborativa 
Coletivo de artistas, produtores culturais e arte educadores de Jundiaí que em maio de 2016 ocuparam um galpão abandonado para transformá-lo em um espaço cultural público, onde realizaram atividades culturais de diferentes linguagens (teatro, artes visuais, espetáculos musicais, apresentação de grupos e cultura popular, saraus, feiras de troca etc) . Mesmo após a reintegração de posse do imóvel, o grupo continua promovendo ações, ocupando praças e lugares públicos na cidade.

Lucy Franco 
Psicóloga, assistente técnica do Sesc SP, tem mestrado em Comunicação Visual e especialização em História da Arte e Crítica de Cinema. Possui experiência na área de formação de educadores e acompanhamento de ações educacionais com adolescentes e jovens em projetos governamentais e ONGs.

13h às 14h30 | Intervalo para Almoço
14h30 às 16h00 | Painel de Relatos: Empreendedorismo e iniciativas juvenis de geração de renda. Com Livia de Tomassi, Infopreta, A Banca e Tomada cultural. Mediação: Claire Beraldo

Livia de Tomassi  
Atua na área de sociologia, com ênfase em sociologia urbana e sociologia da juventude. Realiza pesquisas sobre os seguintes temas: periferias, juventudes, culturas urbanas, ação coletiva, práticas políticas e de governo, empreendedorismo.

Infopreta  
InfoPreta nasceu em 2013 com o intuito de proporcionar para todas as mulheres (cis e trans), moradoras periféricas em situação de vulnerabilidade o acesso facilitado a computadores e a manutenção de seus computadores com preços acessíveis e muitas vezes gratuitos. O enfoque do trabalho é impulsionar mulheres para este campo profissional.

A Banca 
A Banca é uma produtora cultural social de impacto positivo que utiliza a música, a cultura Hip Hop, Educação popular e a tecnologia para promover a inclusão, fortalecer a identidade e o empreendedorismo juvenil periférico.

Tomada Cultural 
Produtora independente que representa diversos coletivos de Jundiaí, responsável por várias ações culturais, entre elas a Feira de Trocas. Busca com essa ação estímulo ao consumo consciente através da troca de produtos novos e usados. Além de estimular o trabalho de quem faz, a feira de trocas é uma oportunidade de divulgação e circulação do trabalho dos artesãos, artistas, poetas da cidade e entorno.

Claire Beraldo
Psicóloga, assessora técnica do Sesc Departamento Nacional, tem especialista em psicopedagogia e educação não formal. Possui experiência na área de Desenvolvimento Comunitário e implantação de projetos sociais.

16h00 às 16h30 | Considerações finais. Com Maria Carla Corrochano
16h30 | Encerramento

Informações:
jovensetrabalho@bomretiro.sescsp.org.br
(11) 3332-3600
Horário de funcionamento da unidade: de terça a sexta, das 9h às 21h; sábados das 10h às 21h; domingos e feriados, das 10h às 18h.

Foto: Oficina da metodologia Tô no Rumo, desenvolvida pela Ação Educativa, durante a Semana de Formação em Direitos Humanos e Educação Popular 2017.

Comentários: