Notícias
Compartilhar

Cirandas pela Educação: Semana de atividades discute planos de educação e exclusão escolar em todo o país

Debates realizados em grupos entre 10 e 20 pessoas, as Cirandas pela Educação começaram nesta segunda-feira (14/07) e já mobilizaram cerca de 500 pessoas

Com o objetivo de discutir sobre os Planos de Educação em âmbito nacional, estadual e municipal, as Cirandas pela Educação são atividades organizadas pela União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (UNCME) e que começaram nesta segunda-feira (14/07) com debates sobre os principais desafios para a garantia do direito à educação, dentre eles, o combate à exclusão escolar. Já com cerca de 90 atividades agendadas, as Cirandas estão programadas até esta próxima sexta-feira (18/07) e devem mobilizar duas mil pessoas.

“Já superamos as nossas expectativas, uma vez que havíamos projetado a realização de 52 Cirandas e a participação de aproximadamente 1200 pessoas. Mas a adesão está superando positivamente este planejamento inicial. Não são apenas conselheiros que estão realizando as Cirandas – temos um público diferenciado, exatamente como queríamos, com a participação também da UNDIME [União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação]”, relatou a presidenta da UNCME, Gilvânia Nascimento, que foi mediadora da ciranda que ocorreu na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) no primeiro dia da programação. Só no estado do Rio Grande do Sul já estão agendadas ao menos 33 cirandas. (Veja relação de Cirandas já agendadas com a Uncme)

Segundo Gilvânia, uma das propostas das Cirandas pela Educação é motivar os municípios a criarem seus Fóruns de Educação: “pretendemos fazer com que esta discussão circule inclusive em espaços onde normalmente este assunto tem pouca ou nenhuma visibilidade e entre pessoas que não estão diretamente envolvidas com a área educacional. Junto com o debate sobre a garantia do direito à educação, vamos sensibilizar os participantes sobre a necessidade de criação dos Fóruns de Educação”.

Além de organizar a conferência de educação, o Fórum deve representar os mais diferentes segmentos da sociedade, ser o canal de comunicação entre a população e o poder público, coordenar a elaboração participativa do Plano de Educação e, após sua aprovação, ser o responsável pelo monitoramento de suas metas (Veja também meta 19 do Plano Nacional de Educação quanto à efetivação da gestão democrática da educação).

Em Minas Gerais, a coordenadora regional da UNCME e mediadora da ciranda marcada para hoje (15/07) na cidade de Brumadinho, Galdina de Souza Arrais, ressalta a importância da atividade para a construção dos Planos de Educação. “Nós enviamos convites para que todos os conselhos do estado possam fazer suas próprias cirandas e, em nosso caso, vamos debater o papel do Conselho na elaboração dos Planos Municipais de Educação”, explicou Galdina.

Segundo ela, as cirandas mineiras contarão com a participação de representantes da Uncme, da Undime e da Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (Sase), do Ministério da Educação, (MEC). “Com foco nos conselhos de cidades que ainda não começaram a elaboração de seus Planos, vamos trazes os avaliadores educacionais da Sase para que possam estimular a criação dos Fóruns Municipais de Educação”, afirmou Galdina explicando que 503 municípios de Minas Gerais ainda estão no processo inicial de construção de seus Planos.

Coordenadas pela UNCME, as Cirandas em âmbito nacional contam, também, com o apoio das iniciativas Fora da Escola Não Pode e De Olho nos Planos e se constituem como atividades com pequeno número de participantes. “Nós estamos propondo Cirandas que tenham de 10 a 20 pessoas para que todos os que estiverem presentes possam participar ativamente. A estratégia é estimular o debate e o aprofundamento sobre os problemas educacionais brasileiros e o direito à educação como um compromisso de todos”, ressaltou Gilvânia.

Um dos resultados previstos para as atividades é a elaboração de um documento a ser entregue ao Ministério da Educação (MEC) e demais parceiros da UNCME. “Este documento deve refletir a escuta dirigida à população brasileira sobre o que ela pensa e quer no que diz respeito à garantia do direito à educação e contra a exclusão escolar em todos os níveis, etapas e modalidades”, explicou Gilvânia.

“A ciranda que propomos é uma reunião com um número reduzido de pessoas, de 10 a 20, de forma que os participantes tenham uma interlocução maior. No caso das Cirandas pela Educação, serão tratados temas educacionais a partir de um mediador que vai auxiliar no debate entre a comunidade. A Ciranda não é uma palestra, mas é uma conversa onde a participação das pessoas é que vai dar a dimensão e a profundidade de nossa discussão”

Gilvânia Nascimento, presidenta da UNCME

Organize sua ciranda!

Além das atividades organizadas pelos coordenadores estaduais da UNCME, qualquer pessoa ou entidade pode articular a realização de uma Ciranda pela Educação. “Todos estão convidados para participar das cirandas e não é necessário estar vinculado a nenhuma instituição. Queremos tirar a discussão dos Planos, por exemplo, das academias e dos grandes eventos educacionais e levar aos bairros, às escolas e aos outros espaços onde as pessoas possam efetivamente participar desta discussão”, destacou a presidenta da UNCME.

Veja abaixo seis passos para realizar sua Ciranda pela Educação:

1 – Organize um grupo de pessoas interessadas em discutir os problemas e os desafios da educação em seu bairro, cidade, estado ou país.

2 – Entre em contato com a UNCME clicando neste link e solicite a colaboração de um mediador ou de referências (pequeno texto ou uma música, dentre outros materiais) para a discussão a ser realizada.

3 – Cadastre sua Ciranda segundo informações do site da UNCME.

4. Divulgue sua Ciranda. Se quiser, utilize os cartazes disponibilizados pela UNCME. Mas lembre-se: caso haja um número muito grande de pessoas, é interessante realizar mais de uma ciranda para que todos possam participar ativamente das discussões!

5 – Realize sua Ciranda de forma que todos sejam ouvidos e que sejam respeitadas suas opiniões.

6 – Se possível, faça o registro em texto e foto para que a UNCME possa organizar as informações e, desta forma, construir o documento a ser encaminhado para o Ministério da Educação e demais instituições e parceiros da área educacional.

Os interessados em fazer sua Ciranda pela Educação podem entrar em contato com a UNCME por meio do e-mail uncmebahia@yahoo.com.br ou ligar para o telefone (73) 3086-1247

Leia mais:

Mais de 200 municípios aderem iniciativa por planos de educação democráticos e participativos

Plano de São Paulo tem um ano para ser aprovado

Com cobertura de apenas 10% da demanda, Educação de Jovens e Adultos continua registrando queda de matrículas no Estado São Paulo

Comentários: