Notícias
Compartilhar

Dinâmicas e vivências para o público infantil e juvenil tomam conta da formação dos Jovens Monitores do CCJ

Verônica Pereira, do Programa de Iniciação Artística (PIÁ), trouxe parte de sua experiência como educadora de arte e propôs diversas atividades aos jovens

A educadora de arte do Programa de Iniciação Artística (PIÁ) Verônica Pereira trouxe sua formação pessoal e experiência profissional para o grupo de Jovens Monitores Culturais do CCJ – Centro Cultural da Juventude na segunda-feira (08/12). O PIÁ está presente nas quatro regiões da cidade de São Paulo, tanto em bibliotecas públicas, como teatros e Centros Educacionais Unificados (CEUs).

Com o objetivo de tratar as especificidades do público infantil e juvenil, a educadora pediu aos jovens para que fizessem uma roda e, no seu centro, em movimento aleatório, os jovens se deparavam frente a frente dizendo seus nomes e suas experiências com práticas de brincadeiras.

Depois desta dinâmica, Verônica pediu que eles se aproximassem mais na roda e começou sua exposição acerca das concepções de infância e criança; sociedades de diversas épocas; períodos feudais; teorias pedagógicas de abordagem sobre a aprendizagem; a concepção adotada pelo PIÁ, entre outros temas.

À tarde, foi exibido o filme “Crianças Invisíveis”, que retrata realidades em sete países distintos, tentando dar voz aos diferentes tipos de criança. O capítulo visto intitula-se “João e Bilu”, que conta a história de duas crianças que se esforçam pelas ruas de São Paulo catando latas, papelão e toda sorte de objetos que a sociedade já não quer mais.

Logo após a exibição, ocorreram diversas dinâmicas com os Jovens Monitores no espaço do CCJ, onde eles puderam experimentar práticas em brincadeiras, jogos infantis e pensar individualmente em sua atuação junto ao público infantil e juvenil dentro deste equipamento público tão rico para estas práticas.

Para saber mais:

O que é o PIA

Facebook – PIA

Comentários: