Notícias
Compartilhar

Projeto JADE completa ciclo de cinco anos com vídeos sobre ensino médio

No último ano do projeto Jovens Agentes pelo Direito à Educação (JADE), os participantes produziram dois vídeos sobre ensino médio, pelas perspectivas do cotidiano da escola e do acesso ao ensino superior.

Esta foi a quinta e última turma do projeto no atual formato. O JADE é realizado voltado para jovens com idades entre 16 e 20 anos, de baixa renda e moradores da Zona Leste de São Paulo. Além dos encontros que aconteceram duas vezes por semana na Ação Educativa, os jovens também participaram de atividades culturais, educativas e de mobilização em diferentes espaços da cidade de São Paulo.

“Buscamos realizar uma experiência que apostou na ideia de que os/as jovens têm o que dizer sobre suas experiências educativas e sobre a escola de ensino médio. Ao longo de cinco anos, os/as jovens mostraram que são capazes de construir propostas de intervenção em suas escolas, numa relação de solidariedade e respeito com professores/as da rede pública”, explica Raquel Souza, assessora da área de Juventude da Ação Educativa.

Como parte da formação, os jovens fizeram entrevistas com jovens, professores e pesquisadores, que resultaram no vídeo Ensino médio em 2 pontos. “Barreiras no acesso ao ensino superior” fala sobre a “crise de identidade” do ensino médio, que oficialmente tem os objetivos de preparar os alunos para o mercado de trabalho, para o ensino superior e para a cidadania. O modelo do vestibular e a necessidade de cursinhos preparatórios é outro ponto levantado. Além disso, o vídeo aborda as políticas de ação afirmativa, como cotas e o Programa Universidade para Todos (ProUni).

{youtube}gvX_FJUzRk0{/youtube}

O segundo vídeo, chamado “Estruturas Invisíveis”, debate a viabilidade da construção de uma escola mais democrática e a relação dos alunos com a autoridade do professor. Para isso, os entrevistados comentam a autonomia e os limites na atuação dos professores e a participação dos jovens na vivência escolar. A relação da escola pública com a Secretaria de Educação e outras instâncias de decisão também aparecem no vídeo.

{youtube}r0W1FqFQ94g{/youtube}

Leia também:

 

Comentários: