Notícias
Compartilhar

Projeto para produzir mostra de artes cênicas e guia cultural é aprovado na Lei Rouanet

O projeto Estéticas das Periferias, nova proposta da Ação Educativa para promover e difundir a cultura produzida nas bordas da metrópole, foi aprovado no mês de fevereiro na Lei Rouanet, conforme publicado no Diário Oficial da União no dia 25 de fevereiro. O projeto prevê a realização de eventos ligados às artes cênicas no Espaço cultural Periferia no Centro, na sede da entidade, além da publicação e distribuição da Agenda Cultural da Periferia para difundir a programação.

De acordo com Antonio Eleilson Leite, coordenador da área de Cultura da Ação Educativa, a aprovação do projeto na Lei Rouanet é um passo importante para possibilitar a captação de recursos para a manutenção das atividades no Espaço Cultural Periferia no Centro e a publicação da Agenda Cultura da Periferia.

“O projeto Estéticas das Periferias pretende apoiar e promover maior acesso à produção artística urbana proveniente da periferia, destacando as proposições estéticas das iniciativas culturais e não somente os predicados educativos e sociais, bem como fortalecer a organização comunitária, a produção artística e a profissionalização de seus grupos e artistas”, afirma Eleilson na proposta.

O projeto aprovado prevê o oferecimento de uma programação mensal gratuita, com apresentações cênicas (teatro, dança, leituras dramáticas e saraus) de grupos da periferia da capital paulista. Durante o período de vigência do projeto, também serão produzidas 11 edições de 10 mil exemplares cada da Agenda Cultural da Periferia, para serem distribuídas em 115 pontos da cidade, além da manutenção da versão online da publicação e dos programas transmitidos semanalmente pela Rádio Heliópolis FM e mensalmente pela TV Catraca Livre.

“A Ação Educativa identifica uma cena cultural muito vibrante nas periferias, mas que enfrenta sempre a falta de equipamentos culturais e políticas públicas. Esse mesmo movimento que surge da precariedade vem se desenvolvendo, buscando se profissionalizar e pressionar autoridades para a criação de políticas públicas que fortaleçam o movimento cultural. É neste contexto de fortalecimento e difusão que o projeto Estéticas das Periferias pretende atuar”, explica Eleilson.

Leia também:

Editorial: Racionais: Da ponte pra cá e do lado de lá

Exposição Comemorativa do Dia do Graffiti é prorrogada até junho

Artigo: Quatro temas da política cultural e a arte das periferias

Elizandra Souza lança seu novo livro, “Águas da Cabaça”, nesta sexta (26)

Comentários: